FICÇÃO

O homem que escutava as abelhas, de Christy Lefteri | Resenha

Destruição. Essa é a palavra que marca toda a narrativa. E não é apenas a destruição física da cidade de Alepo, na Síria, de onde fogem os protagonistas do romance, mas também a destruição dos que mais amamos e da esperança por dias melhores.

NOTA 8/10

FICÇÃO

O mundo se despedaça, de Chinua Achebe | Resenha

Ainda não muito conhecido no Brasil, o autor nigeriano Chinua Achebe é considerado como um dos maiores autores do século XX. Em “O mundo se despedaça”, o autor nos leva para uma Nigéria pré-independência e, mais especificamente, para o centro da vida tribal da etnia ibo.

NOTA 9/10

FICÇÃO

NOTA 9/10

Sobre a terra somos belos por um instante, de Ocean Vuong | Resenha

Em meio ao mês do orgulho LGBTQIA+, comecei essa leitura, muito bem indicada por Mia Couto no @dariaumlivropodcast, sem saber que a obra do autor vietnamita - que acaba de ser traduzida para o português - continha uma temática gay. Ocean Vuong é muito conhecido por suas obras de poesia e “Sobre a terra somos belos por um instante” foi sua primeira aventura em um romance.

LEIA MAIS

FICÇÃO

NOTA 10/10

Vamos comprar um poeta, de Afonso Cruz | Resenha

Nas poucas páginas que compõem esse livro, fica evidente a genialidade do autor português - característica que eu já tinha escutado de outros leitores. A obra foge totalmente daquele conceito de romance que estamos acostumados a ler.

LEIA MAIS

FICÇÃO

NOTA 8,5/10

Paris é para sempre, de Ellen Feldman | Resenha

Quando pensamos em livros sobre a 2a Guerra, logo nos vêm à cabeça histórias que se passam nos campos de batalha ou em campos de concentração nazistas. Mas, no caso de “Paris é para sempre”, a autora cria uma narrativa mais focada nos traumas gerados pela guerra, isto é, em um período em que o conflito persiste apenas dentro das pessoas que vivenciaram dias tão violentos, o que faz da leitura muito interessante.

LEIA MAIS

FICÇÃO

NOTA 9,5/10

Cachorro velho, de Tereza Cárdenas | Resenha

Essa foi a primeira leitura do meu clube do livro, Bookster pelo Mundo, e é impressionante como a experiência de uma leitura coletiva enriquece muito, deixando as discussões e reflexões bem mais marcadas no leitor.

LEIA MAIS