Veja também

DIVERSOS

Quem matou meu pai, de Édouard Louis | Resenha

Um manifesto literário e íntimo. Com menos de 100 paginas, Édouard Louis constrói um texto híbrido, que combina críticas sociais à desigualdade e à sociedade opressora em que vivemos, com suas memórias, em especial a sua conturbada relação com seu pai, que não aceitava um filho gay. Se a autoaceitação de uma pessoa da comunidade LGBTQIA+ já é um processo difícil e dolorido, enfrentar esses medos com a repulsa familiar é uma tarefa muito mais sofrida.

NOTA 9/10

DIVERSOS

Uma história desagradável, de Fiódor Dostoiévski | Resenha

Diferentemente do seus romances mais densos, que se aprofundam nos conflitos e angústias dos personagens, “Uma história desagradável” é uma obra curta e que revela um Dostoiévski mais cômico e menos psicológico. E o que começa com uma premissa bem humorada, acaba levando para um desenvolvimento desagradável - para não dizer caótico.

NOTA 9/10

DIVERSOS

NOTA

#DesafioBookster2023 | Novembro

#DesafioBookster2023
Mês: Novembro
Acontecimento histórico: Ditadura argentina
Livro: A casa dos coelhos, de Laura Alcoba

Os países da América Latina são fortemente marcados por ditaduras, sendo a Argentina um desses países que sofreu a opressão de governos totalitários. No mês de novembro, vamos conhecer uma narrativa ágil, breve e delicada sobre clandestinidade, família e resistência focando num breve período que antecedeu o golpe militar da última ditadura argentina de 1976.

Sinopse:
“Na Argentina dos anos 1970, uma menina é arrastada para a vida clandestina pela mãe, militante dos Montoneros, grupo de resistência à ditadura. Elas vivem escondidas, se afastam da vida que conheciam, e são obrigadas a conviver com outros militantes, entre segredos e o medo constante. Delicado e preciso, este é um romance arrebatador, impossível de ser deixado de lado até a última página.”

@editoraparisdehistorias
128 páginas

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

Como tigres na neve, de Juhea Kim | Resenha

O livro foi o escolhido para o mês de agosto do Desafio Bookster 2023 para o tema Independência da Coréia. É um romance histórico daqueles que tem todos os elementos para agradar o leitor: um bom contexto histórico, enredo ficcional bem desenvolvido, escrita fácil e um conhecimento adicional dos costumes da sociedade.

NOTA 8/10

DIVERSOS

Meu irmão, eu mesmo, de João Silvério Trevisan | Resenha

Uma leitura impactante de um dos grandes nomes da luta pelos direitos da comunidade LGBTQIA+. Em seu último livro, Trevisan constrói um relato autobiográfico que vai além de temas ligados à sexualidade. A sua relação com seu irmão mais novo, Claudio, é o enfoque da obra, que ainda atravessa as dores da perda e a consciência da proximidade da morte.

NOTA 8/10