Veja também

DIVERSOS

Quem matou meu pai, de Édouard Louis | Resenha

Um manifesto literário e íntimo. Com menos de 100 paginas, Édouard Louis constrói um texto híbrido, que combina críticas sociais à desigualdade e à sociedade opressora em que vivemos, com suas memórias, em especial a sua conturbada relação com seu pai, que não aceitava um filho gay. Se a autoaceitação de uma pessoa da comunidade LGBTQIA+ já é um processo difícil e dolorido, enfrentar esses medos com a repulsa familiar é uma tarefa muito mais sofrida.

NOTA 9/10

DIVERSOS

Uma história desagradável, de Fiódor Dostoiévski | Resenha

Diferentemente do seus romances mais densos, que se aprofundam nos conflitos e angústias dos personagens, “Uma história desagradável” é uma obra curta e que revela um Dostoiévski mais cômico e menos psicológico. E o que começa com uma premissa bem humorada, acaba levando para um desenvolvimento desagradável - para não dizer caótico.

NOTA 9/10

DIVERSOS

NOTA

Desafio Bookster 2023 | Agosto

#DesafioBookster2023
Mês: Agosto
Acontecimento histórico: Independência da Coreia
Livro: Como tigres na neve, de Juhea Kim

Vamos viajar para a Ásia nesse mês? No desafio de agosto, teremos um romance histórico que passeia pelas várias fases e momentos da ocupação japonesa na Coreia e de seu processo de independência ao longo da segunda guerra mundial. Uma visão do oriente que acompanha a vida dos personagens entre encontros e desencontros.

Sinopse:
“Acompanha os destinos entrelaçados de uma jovem vendida para uma escola de cortesãs e o filho pobre de um caçador, em uma narrativa notável por sua força vigorosa e ainda mais impressionante por se tratar do romance de estreia de Juhea Kim. Ao adotar o conceito de inyeon – fio humano – para tecer uma bela história, na qual o acaso, a fortuna e o destino são costurados pela turbulência dos eventos históricos ocorridos na península coreana durante o século XX, Kim entrega um livro espetacular, imersivo e elegante, que nos revela um mundo onde amigos se tornam inimigos, inimigos se tornam heróis, heróis são perseguidos e feras podem assumir as mais diversas formas.”

Gostaram da escolha? Alguém já leu?

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

Água fresca para as flores, de Valérie Perrin | Resenha

Esse foi um dos livros que virou prioridade de leitura de tantas recomendações que passei a receber de vocês! Depois de fazer muito sucesso ma Europa, o livro chegou no Brasil e conquistou muitos leitores. A premissa me deixou ainda mais interessado com a obra da autora francesa: mergulhar na história um pouco enigmática de uma zeladora de cemitério.

NOTA 8/10

DIVERSOS

O Alienista, de Machado de Assis | Resenh

Publicada pela primeira vez em 1882, uma das principais obras de Machado de Assis surpreende pelo caráter atual dos temas nela tratados. Somos colocados diante da linha tênue que separa loucura e lucidez, onde uma epidemia de pessoas consideradas como impróprias para um convívio social saudável. E o abuso de quem tem o poder de decidir e separar aqueles que são considerados como sãos dos demais, sujeitos à segregação.

NOTA 10/10