Veja também

FICÇÃO, LIVROS

Mandíbula, de Mónica Ojeda | Resenha

ais periféricos do mercado editorial. É importante valorizar quando editoras fazem esse movimento de trazer obras pouco conhecidas, o que é o caso de “Mandíbula”, da equatoriana Mónica Ojeda, que agora povoa as livrarias após a publicação da @autentica.contemporanea !

NOTA 7/10

FICÇÃO, LIVROS

A cabeça do santo, de Socorro Acioli | Resenha

Quando o assunto é literatura, tem duas coisas que amo: Gabriel García Márquez e realismo mágico (obras que contêm uma visão realística do mundo, mas com elementos mágicos). A obra da autora brasileira Socorro Acioli reúne os dois, tendo desenvolvido “A cabeça do santo” em uma oficina ministrada por ninguém menos que o incrível Gabo (apelido para os íntimos, hehe).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

NOTA 8,5/10

Mayombe, de Pepetela | Resenha

Escritor angolano, vencedor de vários prêmios literários, Pepetela foi o escolhido para representar o seu país no Bookster pelo Mundo! Mayombe é um de seus livros mais importantes, tendo sido incluído por vários anos em listas de vestibulares aqui no Brasil.

Publicado em 1979, a obra narra a luta dos combatentes do MPLA pela libertação de seu país contra as tropas portuguesas. O cenário principal é Mayombe, uma floresta tropical em que soldados de diferentes tribos da Angola passam um longo período à espera de um conflito armado contra o inimigo comum. A floresta e a guerra são personagens importantíssimos da narrativa e estão presentes ao longo de toda a leitura.

Ao mesmo tempo, há diversos personagens humanos que compartilham a tarefa de narrar a história. São vozes de diferentes tribos angolanas e que mostram a diversidade cultural e social no país. É uma Angola que busca não só a libertação do colonizador, mas também uma identidade e união interna. O autor ainda consegue mostrar o lado humano daqueles que vivem a guerra na linha de frente. E os próprios apelidos dos personagens são capazes de revelar suas características.

Confesso que, inicialmente, a leitura não foi das mais fáceis. Tive dificuldade de identificar os personagens nas cenas iniciais e diálogos construídos pelo autor – e acho que os apelidos pouco comum dos combatentes possa ter contribuído para isso. Mas a partir da segunda parte do livro, consegui me envolver mais com a história e entender melhor a dinâmica de conflitos que preenchem a obra. Para finalizar, a live que fizemos no Clube do livro com uma especialista no tema foi essencial para enriquecer a experiência da leitura!

Um livro denso que reune de forma muito interessante os conflitos armados que marcaram a história da Angola com os aspectos humanos, mais profundos, que compunham a sociedade daquela época! Recomendo uma leitura sem pressa e com atenção aos detalhes e à escrita poética do autor.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10