Veja também

FICÇÃO, LIVROS

Solução de dois Estados, de Michel Laub | Resenha

Em seu mais novo romance, um dos principais nomes da literatura contemporânea nacional aborda temáticas muito atuais, sobretudo a polarização que marca as discussões políticas e sociais do nosso tempo.

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Confissões, de Kanae Minato | Resenha

Até escolher o livro para a leitura conjunta do #desafiobookster2021, para o gênero de thriller, nunca tinha ouvido falar da autora japonesa Kanae Minato.

NOTA 8,5/10

DIVERSOS

NOTA 8/10

Um conto de Natal, de Charles Dickens | Resenha

Acredito que esse meu primeiro Dickens tenha sido um livro bem diferente das suas obras mais consagradas, todas longos romances como Grandes esperanças, David Copperfield e A casa soturna. E isso eu digo não apenas por conta do tamanho do livro, mas também pela profundidade da história. Em “Um conto de Natal”, encontramos uma história bastante simples, curta, mas muito gostosa de ler.

A narrativa gira em torno de Scrooge, um personagem que chegou à terceira idade apenas acumulando dinheiro, tendo deixado de lado os importantes valores da vida. Scrooge não dá atenção para a sua família, não é generoso com seus empregados e não gasta o dinheiro por nada, nem mesmo para seu conforto. Dentre tantos temas aos quais o personagem não dá a mínima bola, está o Natal: um enorme desperdício de tempo e dinheiro, na sua opinião.

E é justamente durante uma noite de Natal que se passa a história criada por Dickens. Scrooge recebe uma visita – no mínimo assustadora – do fantasma de seu sócio, que já antecipa a visita de três espíritos que irão acompanhá-lo durante essa noite. Cada um deles irá mostrar a Scrooge as consequências de seu comportamento rabugento e antipático em noites de Natal do seu passado, presente e futuro.

Para ser sincero, na minha opinião a narrativa não é, por si só, incrível. Como eu disse, ela é bem simples, podendo até mesmos ser lida por uma criança… Mas quando entendemos o contexto em que a obra foi escrita, assim como as repercussões para a época de seu lançamento (1843), a leitura fica muito mais interessante. Isso porque, por meio dessa obra, Dickens ficou conhecido por inventar o Natal como celebramos atualmente, isto é, o espírito natalino. Até por sua importância, o livro foi objeto de diversas adaptações.

Além disso, o que deixou a experiência ainda mais legal foi a edição incrível da @antofagica ! Ela é repleta de ilustrações e textos de apoio, que conseguem nos inserir ainda mais na mágica da história. Dentre tantas opções no mercado, não hesito em indicar essa!

Compre o livro AQUI!

Ao comprar o livro pelo link, você ajuda a página, sem gastar nada a mais por isso!

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

“A marca da vitória”, de Phil Knight | Resenha

 Quem me segue aqui há um tempo sabe que meu objetivo é indicar livros que vão além dos best-sellers, até porque eles já têm uma baita divulgação...

NOTA 8,5/10

DIVERSOS

Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Marçal Aquino | Resenha

Com um estilo que me lembrou o incrível “As travessuras da menina má”, de Vargas Llosa, Marçal Aquino constrói a história de uma relação intensa entre Cauby e Lavínia, uma personagem com um passado repleto de traumas...

NOTA 8,5/10