Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10

DIVERSOS

NOTA

#DesafioBookster2019 | Dezembro

#desafiobookster2019
Tema de dezembro: Relações afetivas e estrutura familiar
Livro escolhido: “Léxico familiar“, de Natalia Ginzburg

Como havia prometido, vou mostrar para vocês a minha escolha do desafio @book.ster para esse mês, assim como outras dicas ao final do post. Como já estamos no último mês, em 2020 lanço nosso #DesafioBookster2020! Não deixem de participar!!!

Dezembro é o mês dos eventos encontros familiares. Apesar de muita coisa boa acontecer, lembramos nesses encontros que toda relação tem seus problemas e que nenhuma família passa imune a isso. Então, nada mais apropriado do que lermos alguma obra que trate sobre os conflitos familiares – um tema atemporal e que podemos identificar ao longo de toda nossa história.

O escolhido da vez é uma das principais obras da renomada escritora italiana, Natalia Ginzburg, que já confirmou a qualidade das obras de escritoras em seu país muito antes de Elena Ferrante. Em “Léxico familiar”, a autora constrói, a partir de suas memórias, as dificuldades enfrentadas por famílias judias nos anos 30, época de criação das leis raciais na Europa. Vamos acompanhar pela vida de seus familiares, a história dessa família judia e antifascista que precisa resistir ao horror e à perseguição. Como a autora já deixa claro no início da obra, “Neste livro, lugares, fatos e pessoas são reais”.

Além do escolhido, indico: “O filho de mil homens”, de Valter Hugo Mãe, “Ciranda de pedral”, de Lygia Fagundes Telles; “Os Maias”, de Eça de Queiroz; “Dois irmãos”, de Milton Hatoum; “Laços”, de Domenico Starnone; “Trilogia do adeus”, de João Anzanello Carrascoza; e “Pais e filhos”, de Ivan Turguêniev. ⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E você, já escolheu sua leitura de dezembro?

Ao comprar o livro pelo link, você ajuda a página, sem gastar nada a mais por isso!

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

A casa dos espíritos, de Isabel Allende | Resenha

Romance histórico, realismo mágico e narrativa acompanham as gerações de uma família. Essas são três características que me chamam bastante atenção em um livro. No caso de “A casa dos espíritos”, todas estão presentes! 

NOTA 10/10

DIVERSOS

“Os sofrimentos do jovem Werther”, de J. W. Goethe | Resenha

Publicado em 1774, esse clássico da literatura alemã – e mundial – teve um impacto tão grande que foi responsável por uma onda de suicídios entre os jovens da época...

NOTA 9/10