Veja também

DIVERSOS

O fim de Eddy, de Édouard Louis | Resenha

Romance autobiográfico que fez bastante sucesso na França, “O fim de Eddy” retrata as dificuldades e conflitos internos vividos por um garoto que ainda questiona a sua sexualidade...

NOTA 8/10

DIVERSOS

Meu pequeno país, de Gaël Faye | Resenha

Se eu pudesse resumir esse livro em apenas um frase, seria: a dureza da guerra na perspectiva de uma criança. Gabriel, um narrador de apenas 10 anos, nos transporta para a guerra civil que assolou Ruanda, no início de 1992...

NOTA 8,5/10

Desafio Bookster

NOTA

#DesafioBookster2019 | Julho

Tema de Julho: Bioética e os limites da tecnologia
Livro escolhido: “Oryx e Crake“, de Margaret Atwood
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Como havia prometido, vou mostrar para vocês a minha escolha do desafio @book.ster para esse mês e dar indicações de outros livros com a temática a ser abordada. Se você só chegou aqui agora, não tem problema! Comece o desafio a partir desse mês e busque aqui na página o post oficial para entender melhor como funciona.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O tema de julho é traz discussões que vem cada vez ganhando mais destaque, mas que já foram muito abordadas na literatura, principalmente em romances distópicos (distopia é aquele um futuro que não deu certo, é o oposto de uma sociedade utópica). Quantas histórias já não ouvimos sobre um futuro dominado pela inteligência artificial ou sobre a criação de animais e seres humanos geneticamente modificadas? Mas também vale lembrar que os limites da tecnologia também envolvem outras temáticas, como o impacto das redes sociais em nossas vidas.
E confesso que estava bem animado para ler o livro escolhido para esse mês. “Oryx e Crake” é o primeiro volume de uma trilogia escrita pela mesma autora de “O conto da aia”. No livro escolhido, nos deparamos com um mundo pós-apocalíptico, habitado por criaturas biologicamente modificadas. Só há um ser humano sobrevivente e ele precisa conviver com crianças criadas em laboratório. Como promete a sinopse, “a autora conjuga uma fábula fantástica, mórbida e cheia de ação, com personagens cujo mundo interior é misterioso e uma constante descoberta”. Quem aí se animou com a escolha? Corre lá nos stories, porque tem link do livro com 50% de desconto (ao comprar pelo meu link você ajuda a página sem gastar nada a mais por isso)!
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Além do escolhido, indico os seguintes livros que abordam a temática: “Flores para Algernon”, de Daniel Keyes; “Cama de gato”, de Kurt Vonnegut, “Máquinas como eu”, de Ian McEwan; “O tribunal de quinta-feira”, de Michel Laub; “Eu, Robô”, de Isaac Asimov; “Admirável mundo novo”, de Aldous Huxley; e “A máquina do tempo”, de H. G. Wels.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E você, já escolheu sua leitura de julho? #bookster

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Tania Moraes disse:

Conheci hoje a página. E gostei muito.
Ian McEwan é um dos autores preferidos.

Veja também

FICÇÃO

Autobiografia, de José Luís Peixoto | Resenha e Parceria

Será que as palavras mantêm vivos aqueles cuja falta nos é sentida? Peixoto conseguiu fazer isso com José Saramago. A presença do gênio da literatura como um dos personagens principais dessa obra conseguiu, sem qualquer dúvida, dar novos suspiros a Saramago. “Autobiografia”...

NOTA

DIVERSOS

As alegrias da maternidade, de Buchi Emecheta | Resenha

Diferentemente do que o título dá a entender, não se trata de um livro sobre alegrias. A maternidade abordada por Emecheta, escritora nigeriana de incrível talento, também está longe daquele conceito idealizado sobre a criação dos filhos...

NOTA 9,5/10