Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10

NÃO FICÇÃO

NOTA 10/10

Sapiens: uma breve história da humanidade, Yuval Noah Harari

Costumo ter certa relutância em ler esses livros, porque geralmente todo esse alvoroço tem como principal causa não a qualidade da obra em si, mas muito mais uma jogada de marketing para gerar vendas (plenamente compreensível). Mas recebi tantas mensagens de pessoas recomendando esse livro – e pessoas com um gosto literário parecido com o meu – que resolvi encarar a leitura. No final, fiquei muito satisfeito por ter tomado essa decisão, já que o livro é realmente muito bom. É sempre importante ter em mente qual a proposta do autor com determinado livro, para que você não se decepcione ou inicie a obra esperando algo totalmente diferente. Sapiens é um livro de história, que revela uma extensa pesquisa feita pelo autor e contempla bastante informação. Ou seja, nesse caso, quando falo que o livro é muito bom, não espere uma narrativa que vai te prender muito ou uma leitura tão fluida. Como disse, é um livro de história, sem qualquer traço ficcional. Mas, pela quantidade de informação, confesso que achei a leitura bem fluida. Isso se dá em grande parte pelo fato de Harari traçar um panorama mais geral da “história da humanidade”, sem entrar em muitos detalhes ou dados técnicos, e pela grande capacidade que o autor tem de trazer exemplos atuais em suas explicações. Assim, o resultado é uma escrita mais acessível e prazerosa. E quando falo que Harari conseguiu cumprir o que prometeu, é porque ele de fato apresenta ao leitor um panorama muito interessante da origem do ser humano como conhecemos hoje, abordando não apenas aspectos biológicos e evolutivos, como também a formação de uma sociedade politicamente e economicamente organizada. Ao longo da obra, Harari também traz alguns questionamentos, de forma que o livro não deixa de apresentar um forte cunho filosófico. Nesse ponto, é importante notar que o autor também coloca o seu ponto de vista – ainda que de forma camuflada – quando traz esses questionamentos. Enfim, é um livro essencial, que dá uma base de conhecimento histórica indispensável. Recomendo muito! 

 

Se você gostou, compre o livro clicando no link e ajude a página a se manter: https://amzn.to/2rFCSvo

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

2018 já começou com muitas leituras boas! 

Como já falei aqui, costumo escolher 4 livros para ler ao mesmo tempo. Ou seja, só começo algum novo livro depois de terminar esses 4, mas não necessariamente começo todos simultaneamente.

NOTA

FICÇÃO

O homem sem doença, Arnon Grunber

Conheci a escrita de Grunberg em 2017, com Tirza, e a obra acabou sendo uma das 5 melhores leituras do ano. E, assim como em Tirza, nessa obra o autor mantém a sua habilidade de criar uma história perturbadora, com uma mistura de suspense e humor negro.

NOTA 8,5/10