Veja também

FICÇÃO

Sobre a terra somos belos por um instante, de Ocean Vuong | Resenha

Em meio ao mês do orgulho LGBTQIA+, comecei essa leitura, muito bem indicada por Mia Couto no @dariaumlivropodcast, sem saber que a obra do autor vietnamita - que acaba de ser traduzida para o português - continha uma temática gay. Ocean Vuong é muito conhecido por suas obras de poesia e “Sobre a terra somos belos por um instante” foi sua primeira aventura em um romance.

NOTA 9/10

FICÇÃO

Vamos comprar um poeta, de Afonso Cruz | Resenha

Nas poucas páginas que compõem esse livro, fica evidente a genialidade do autor português - característica que eu já tinha escutado de outros leitores. A obra foge totalmente daquele conceito de romance que estamos acostumados a ler.

NOTA 10/10

FICÇÃO, LIVROS

NOTA 9,5/10

A mulher que escreveu a bíblia, Moacyr Scliar

Essa obra foi uma grande surpresa para mim, ainda mais por nunca ter lido nada de Moacyr Scliar! Em “A mulher que escreveu a bíblia”, uma mulher dos nossos tempos faz uma consulta sobre suas vidas passadas e descobre que já foi uma das esposas de um rei famoso na nossa história – o Rei Salomão. A partir daí, o autor volta a esse passado e constrói, com uma narrativa em primeira pessoa, a vida dessa mulher, que foi dada ao rei pelo próprio pai, chefe tribal.

A narrativa mescla de forma muito interessante – e cômica – a história do Rei Salomão com a vida de uma de suas 700 esposas – a mais feia de todas, mas a única que sabia escrever. Por ser feia, a mulher é inicialmente rejeitada pelo rei. No entanto, após descobrir a sua rara capacidade de ler e escrever, o Rei Salomão lhe confere a incumbência – nada fácil – de reescrever a história da humanidade, principalmente do povo hebreu.

“A mulher que escreveu a bíblia” é uma leitura é muito rápida, divertida e descomplicada, abordando, cheia de ironia, temas como religião, história, sexo e culto à beleza. Recomendadíssimo!!!

E aí, alguém me recomenda o próximo livro de Moacyr Scliar?

 

Trecho do livro:

“Por que precisavas te meter a besta?
Já não bastava tua feiura, tinhas de bancar a inteligente?”

 

Edição – Companhia de Bolso / Número de páginas: 168 / Ano de publicação: 2007

Se você gostou, compre o livro clicando no link e ajude a página: https://amzn.to/2LgMIMj

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

LIVROS

Holocausto brasileiro, Daniela Arbex

Não tenho muito interesse em livros jornalísticos e, após a leitura de Holocausto Brasileiro, ainda mantenho minha opinião.

NOTA 7,5/10

LIVROS

A invenção de Morel, Adolfo Bioy Casares

Achei o começo bem confuso e arrastado, mas ao longo da leitura, comecei a ficar mais pela obra.

NOTA 8/10