Veja também

DIVERSOS

Quem matou meu pai, de Édouard Louis | Resenha

Um manifesto literário e íntimo. Com menos de 100 paginas, Édouard Louis constrói um texto híbrido, que combina críticas sociais à desigualdade e à sociedade opressora em que vivemos, com suas memórias, em especial a sua conturbada relação com seu pai, que não aceitava um filho gay. Se a autoaceitação de uma pessoa da comunidade LGBTQIA+ já é um processo difícil e dolorido, enfrentar esses medos com a repulsa familiar é uma tarefa muito mais sofrida.

NOTA 9/10

DIVERSOS

Uma história desagradável, de Fiódor Dostoiévski | Resenha

Diferentemente do seus romances mais densos, que se aprofundam nos conflitos e angústias dos personagens, “Uma história desagradável” é uma obra curta e que revela um Dostoiévski mais cômico e menos psicológico. E o que começa com uma premissa bem humorada, acaba levando para um desenvolvimento desagradável - para não dizer caótico.

NOTA 9/10

DIVERSOS

NOTA 8/10

As desventuras de Arthur Less, de Andrew Sean Greer | Resenha

Normalmente, as leituras envolvendo personagens gays costumam trazer narrativas tristes e repletas sofrimentos. Vencedor do Prêmio Pulitzer de Ficção de 2018, “As desventuras de Arthur Less” vai um pouco na contramão, apresentando um enredo mais leve e com bons toques de humor.

O protagonista, que dá nome ao livro, é um autor que ficou um pouco esquecido e que, perto de completar 50 anos, começa a repensar suas conquistas e o futuro que vem pela frente. As reflexões se agravam porque o seu último romance, um jovem com quem conviveu por muitos anos, está prestes a se casar com um outro homem.

Para fugir um pouco dos problemas e das incertezas do que vem pela frente, Less planeja uma série de viagens em um curto período de tempo: México, Itália, França, Marrocos, Japão, Índia… E enquanto acompanhamos o protagonista por essas (des)venturas, conhecemos um pouco de seu passado e do relacionamento que teve por muitos anos com um poeta mundialmente famoso.

A leitura é bem tranquila e diverte o leitor! Em alguns momentos o ritmo diminuía um pouco, mas fiquei mais animado com a segunda metade da obra. Não espere personagens complexos ou uma leitura densa, mas sim um livro gostoso e fácil de ler. Como um homem gay, também acabei me identificando com alguns pensamentos e vivências de Less.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

Carta a D. – história de um amor, de André Gorz | Resenha

É cada vez mais frequente escutarmos sobre o problema de idealizarmos o relacionamento perfeito, a busca pela alma gêmea e o viveram felizes para sempre, que costumamos assistir em filmes e de pessoas que acompanhamos nas redes sociais. Mas será que o relacionamento precisa ser perfeito para ser marcante e duradouro? Não estaria o amor também presente nos momentos difíceis e de imperfeições?

NOTA 8,5/10

DIVERSOS

Desafio Bookster 2023 | Julho

#DesafioBookster2023
Mês: Julho
Acontecimento histórico: Ditadura militar no Brasil
Livro: “Todos nós estaremos bem”, de Sérgio Tavares

NOTA