Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

NOTA 8,5/10

Formas de voltar para casa, de Alejandro Zambra | Resenha

Escolhido como o livro do Chile no Bookster pelo mundo, “Formas de voltar para casa” é um livro de reconstrução da memória, tendo como pano de fundo o governo de Pinochet, no final do século XX. Desde sua infância até os dias atuais, o personagem vai descrevendo passagens de sua vida e da história do Chile com base no que viu e no que lhe contaram.

É um olhar sensível e poético sobre uma geração que teve que crescer embaixo da sombra de uma ditadura. A forma como a criança vai aos poucos compreendendo a realidade ao seu redor e perdendo a idealização que faz de seus pais e avós é muito real e tocante. Mas não espere um livro apenas sobre a ditadura, é mais que isso: é uma obra sobre vidas, cotidianos e pessoas que não podiam deixar de seguir enquanto a ditadura acontecia.

Para construir esse romance, o autor se utiliza muito da metalinguagem, já que o personagem principal revive suas memórias enquanto escreve seu próprio livro. Também não posso deixar de dizer que estou cada vez estou mais fascinado pela literatura latino-americana. Apesar das diferenças culturais e da História de cada país, é impossível não perceber a existência de laços que nos unem e que fazem de nossas histórias uma narrativa semelhante.

“Sabia pouco, mas pelo menos sabia isto: que ninguém fala pelos outros. Que, mesmo que queiramos contar histórias alheias, terminamos sempre contando nossa própria história.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

FICÇÃO, LIVROS

O avesso da pele, de Jeferson Tenório | Resenha

Começar o #DesafioBookster2022 com uma leitura tão impactante como essa é com certeza um sinal de quanto a literatura nacional contemporânea pode ser surpreendente!

NOTA 10/10

FICÇÃO, LIVROS

Becos da memória, de Conceição Evaristo | Resenha

Com 75 anos, Conceição Evaristo é uma das principais escritoras nacionais. E foi por isso que escolhi essa obra para representar o Brasil no Bookster pelo Mundo. Não podemos esquecer, por sua vez, que a autora teve um reconhecimento muito tardio, em virtude de ser mulher, negra e de origem humilde em um país de ainda poucas oportunidades.

NOTA 9,5/10