Veja também

FICÇÃO

Sobre a terra somos belos por um instante, de Ocean Vuong | Resenha

Em meio ao mês do orgulho LGBTQIA+, comecei essa leitura, muito bem indicada por Mia Couto no @dariaumlivropodcast, sem saber que a obra do autor vietnamita - que acaba de ser traduzida para o português - continha uma temática gay. Ocean Vuong é muito conhecido por suas obras de poesia e “Sobre a terra somos belos por um instante” foi sua primeira aventura em um romance.

NOTA 9/10

FICÇÃO

Vamos comprar um poeta, de Afonso Cruz | Resenha

Nas poucas páginas que compõem esse livro, fica evidente a genialidade do autor português - característica que eu já tinha escutado de outros leitores. A obra foge totalmente daquele conceito de romance que estamos acostumados a ler.

NOTA 10/10

Desafio Bookster

NOTA

#DesafioBookster2020 | Dezembro

Mês: Dezembro
Temática: Biografia
Livro escolhido: “A imperatriz de ferro”, de Jung Chang

Booksters, chegamos na última categoria do Desafio Bookster 2020! Foram TANTAS leituras boas esse ano que fiz por conta do desafio, que só tenho a agradecer quem entrou nessa comigo! Lembrando que para 2021, vai ter novidade MUITO LEGAL!!!!! Se preparem, sério… Já separem um livro por mês para ler comigo!

Não sou o maior fã de biografias e, quando leio, gosto das obras mais romanceadas. Por isso, pesquisei muito antes de escolher o livro desse mês. Ainda que não seja uma biografia tão romanceada, ela traz a história de uma mulher pouco conhecida no ocidente e foi escrita por uma autora muito renomada por suas obras.

O livro é “A imperatriz de ferro”, de Jung Chang. Do fim do século XIX até o começo do século XX, Cixi foi a mulher mais importante da história da China, responsável por levar o país da era medieval até a era moderna. Aos 16 anos, ela foi escolhida numa seleção nacional para ser uma das concubinas do imperador. Após a morte dele, é o filho que teve com o imperador, de apenas 5 anos de idade, quem assume o trono. Mas Cixi organiza um golpe contra os regentes e passa a comandar a China.

Cixi governou durante décadas, e Jung Chang mostra como ela lutou para modernizar o país, implementando atributos de um Estado moderno, construindo fábricas e ferrovias, levando a eletricidade para a China e promovendo, também, o reconhecimento dos direitos das mulheres. A biografia desmistifica a visão de que Cixi era uma déspota sanguinária e conservadora, e foi baseada em documentos que vieram à público recentemente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Herdeiras do mar, de Mary Lynn Bracht | Resenha

Uma das maiores surpresas do ano, a obra é, em parte, ambientada na Coréia sob ocupação japonesa durante a Segunda Guerra Mundial - um período que conhecia muito pouco.

NOTA 10/10

FICÇÃO, LIVROS

Solução de dois Estados, de Michel Laub | Resenha

Em seu mais novo romance, um dos principais nomes da literatura contemporânea nacional aborda temáticas muito atuais, sobretudo a polarização que marca as discussões políticas e sociais do nosso tempo.

NOTA 9/10