Veja também

FICÇÃO, LIVROS

Herança, de Miguel Bonnefoy | Resenha

Quando recentemente estive na França, via "Heritage" em evidência nas estantes das livrarias que visitei. Curioso, fui logo pesquisar mais do livro, que venceu o Prix des Libraires 2021, e percebi que era o mesmo que há pouco havia recebido da @editoravestigio! Comecei a leitura sem saber o que esperar, já que a obra chegou recentemente nas livrarias brasileiras e ainda não tinha visto a opinião de alguém que já tivesse se aventurado por essas páginas... E que surpresa maravilhosa!

NOTA 9,5/10

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Paula, de Isabel Allende | Resenha

Começar um livro sobre uma mãe que aguarda a morte de sua filha doente ao seu lado é algo que pode ser impensável para muitos. Temos nossos limites em conhecer o sofrimento do outro, mas a verdade é que esse livro não trata apenas da tristeza e do medo de uma perda irreparável.

NOTA 10/10

CLÁSSICOS, FICÇÃO, NÃO FICÇÃO

NOTA

Escolhas da vez!

No início de todo mês mostro para vocês as minhas escolhas, que costumo fazer com base em quatro categorias: (1) clássico; (2) até 200 páginas; (3) autor contemporâneo/ficção científica; e (4) não ficção/contos/poemas.

Ou seja, só vou começar um livro diferente depois que eu acabar a “leva” atual. Isso me tira da zona de conforto e me incentiva a ler obras de diferentes gêneros. Essa “técnica” também ajuda muito no ritmo da leitura, evitando que eu canse de alguma obra. E é importante dizer que eu não leio os 4 livros simultaneamente! Gosto de começar 2, e aí vou iniciando os próximos conforme finalizo as leituras, sem deixar nenhum de lado.

Escolhas de vez:

1 – Clássico: “A casa dos espíritos”, de Isabel Allende – Destaque da literatura latino-americana, a obra se assemelha a “Cem anos de solidão”. Já comecei a leitura na edição original em espanhol e estou adorando!

2 – Autor contemporâneo: “O filho de mil homens”, de Valter Hugo Mãe – Faz tempo que não faço uma releitura… Estou animado para reencontrar essa narrativa tão incrível de @valterhugomae. Essa leitura é para o clube do livro da @m.inq, que acontece no começo de novembro (ainda dá para participar)!

3 – Até 200 páginas: “K – relato de uma busca”, de B. Kucinski – Livro escolhido para o mês de outubro do #desafiobookster2019. Tema: democracia.

4 – Não ficção: “Rota 66“, de Caco Barcellos – Li há alguns anos “O abusado” do mesmo autor e adorei! Esse estava na fila há um bom tempo.

E vocês, estão lendo o que?

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

“Não foi bem assim – verdades e cicatrizes de um julgamento”, de Francisco Almeida Prado | Resenha

Apesar de ter sido publicado em 2016, quando li a sinopse do livro achei que estava diante de um lançamento. É que, independentemente de posição política e sem fazer qualquer juízo de valor, o autor criou uma narrativa muito atual...

NOTA

Desafio Bookster, FICÇÃO, NÃO FICÇÃO

#DesafioBookster2019 | Outubro

NOTA