Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10

Desafio Bookster, DIVERSOS

NOTA

#DesafioBookster2019 | Junho

Junho – LGBTfobia
Livro escolhido: “O fim de Eddy“, de Édouard Louis
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Como havia prometido, vou mostrar para vocês a minha escolha do desafio @book.ster para esse mês e dar indicações de outros livros com a temática a ser abordada. Se você só chegou aqui agora, não tem problema! Comece o desafio a partir desse mês e busque aqui na página o post oficial para entender melhor como funciona.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O tema de junho foi bastante discutido na semana passada, em que o Supremo Tribunal Federal formou a maioria a favor da votação para criminalizar a LGBTfobia. De acordo com os ministros que votaram, na falta de uma lei específica, a discriminação pela orientação sexual ou identidade de gênero deve ser equiparada ao crime de racismo.
O livro escolhido para o tema foi “O fim de Eddy”, uma autobiografia de um jovem autor francês contemporâneo. Desde criança, Édouard sofria pela dificuldade de se enquadrar em uma comunidade conservadora do interior da França. O autor cresceu tentando reprimir a sua orientação sexual, que não era aceita pela família e colegas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
“Todas as manhãs, enquanto me arrumava no banheiro, eu repetia a mesma frase sem parar, tantas vezes que ela terminaria por perder o sentido, passaria a não ser mais do que uma sucessão de sílabas, de sons. Eu parava e retomava a frase: Hoje eu vou ser um durão. (…) Hoje eu vou ser um durão (e eu choro enquanto escrevo estas linhas: choro porque eu acho essa frase ridícula e horripilante, essa frase que, durante anos, me acompanhou e que de certa forma ocupou, não creio que haja exagero em dizer isso, o centro da minha vida).”⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Além do escolhido, indico os seguintes livros que abordam a temática: “Fun home: uma tragicomédia em família”, de Alison Bechdel; “O quarto de Giovanni”, de James Baldwin, “Fabián e o caos”, de Pedro Juan Gutiérrez; “Amora”, Natália Polesso; “Devassos no paraíso”, de João Silvério Trevisan; e “O que te pertence”, de Garth Greenwell.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E você, já escolheu sua leitura de junho?

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

FICÇÃO

O peso do pássaro morto, de Aline Bei | Resenha

A leitura desse livro de pouco mais de 150 páginas chamou muito a minha atenção… e por vários motivos. Em primeiro lugar, pela forma como ele é escrito: um "romance em versos"...

NOTA 9/10

DIVERSOS

Silêncio, de Shusaku Endo | Resenha

Publicado em 1966 e vencedor do Prêmio Tanizaki (um dos principais prêmios literários do Japão), “Silêncio” é uma ficção histórica envolvente e que conseguiu me transportar para um período da História pouco conhecido, mas extremamente interessante: a ida de jesuítas europeus, principalmente portugueses, para tentar levar a fé cristã à população japonesa.

NOTA 9/10