Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10

Desafio Bookster

NOTA

#DesafioBookster2019 | Abril

Abril – Intolerância religiosa
Livro escolhido: “Persépolis”, de Marjane Satrapi
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Como havia prometido, vou mostrar para vocês a minha escolha do #DesafioBookster2019 para esse mês e dar indicações de outros livros com a temática a ser abordada. Se você só chegou aqui agora, não tem problema! Comece o desafio a partir desse mês e busque aqui na página o post oficial para entender melhor como funciona.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O escolhido foi um livro que já estava há um bom tempo pedindo para ser lido aqui em casa, principalmente diante das inúmeras recomendações positivas que eu recebi de vocês! E a escolha é um pouco diferente porque “Persépolis” é uma HQ, um livro em quadrinhos. Semana passado subi no YouTube um vídeo que fiz falando sobre “Maus”, uma HQ que havia acabado com um antiga ideia – ou até um certo preconceito literário – que eu tinha de que livros em quadrinho seriam mais juvenis e, portanto, não me interessariam. No entanto, “Maus” revelou o contrário e foi uma surpresa maravilhosa. Depois disso, já coloquei várias HQs na lista e “Persépolis” estava em primeiro lugar. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A obra é uma autobiografia e traz a vida de Marjane, uma garota que com apenas 10 anos de idade se viu obrigada a usar o véu islâmico, dentro da sala de aula. Marjane assistiu ao início da revolução que transformou o país em uma república islâmica teocrática, sob o comando de um líder religioso. O problema é que a protagonista nasceu em uma família progressista e libertária e, por isso, passou a ter que seguir os preceitos religiosos contra a sua vontade. Uma obra que aborda a temática da imposição e intolerância religiosa a partir da perspectiva de uma jovem garota! Extremamente animado com essa leitura!
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Além do escolhido, indico os seguintes livros que abordam a temática: “Infiel”, de Ayaan Hirsi Ali; “Hibisco Roxo”, de Chimamanda Adichie, “É isto um homem”, de Primo Levi; “Complô contra a América”, Philip Roth; “Submissão”, de Michel Houellebecq; “O diário de Anne Frank”, de Anne Frank; e “Eichmann em Jerusalém”, Hannah Arendt, e “As montanhas de Buda”, Javier Moro.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E você, já escolheu sua leitura de abril?

Segue link para compra do escolhido: AQUI!

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

Terra Sonâmbula, de Mia Couto | Resenha

Publicado em 1992, no mesmo ano em que teve fim a guerra civil moçambicana, o primeiro romance de Mia Couto é o relato da busca pela identidade de uma nação assolada pela guerra...

NOTA 10/10

DIVERSOS, LIVROS

A mulher de pés descalços, de Scholastique Mukasonga | Resenha

Sobrevivente da guerra civil que assolou a Ruanda no começo da década de 90, Mukasonga escreveu alguns livros para relatar as atrocidades e sofrimentos que vivenciou.

NOTA 8,5/10