Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10

Desafio Bookster

NOTA

#DesafioBookster2019 | Janeiro

Janeiro – Migração e Xenofobia
Livro escolhido: “Minha casa é onde estou”, de Igiaba Scego

Como havia prometido, antes de cada mês, vou mostrar para vocês a minha escolha para o mês seguinte e dar indicações de livros com a temática a ser abordada. Eu sei que o mês de Janeiro já começou e esse post vem atrasado, mas nos próximos meses vou cumprir a promessa de fazer esse post com antecedência. De qualquer forma, a minha primeira escolha para o #desafiobookster2019 é um livro curto, com 160 páginas, então, quem quiser vir comigo ainda dá tempo de terminar a leitura até o final de Janeiro.

O escolhido foi “Minha casa é onde estou”, de uma autora filha de somalis e nascida na Itália. Ano passado, li “Adua”, outra obra da autora que também aborda a temática da imigração, e fiquei muito bem impressionado com a capacidade de Igiaba em escrever um romance curto, mas que impacta o leitor. E o mais legal foi conhecer pessoalmente a autora na Flip de 2018, onde pude assistir uma mesa de debates em que Igiaba contou um pouco da experiência de escrever o livro autobiográfico “Minha casa é onde estou”. Nele, Igiaba – filha de imigrantes somalis – relata os primeiros anos de sua vida na Itália, país onde nasceu e cresceu sem conseguir identificá-lo como sua terra natal. “Se o livro é um mapa, o destino ao qual ele leva a autora e os leitores é o tesouro mais precioso: a identidade fugidia de uma imigrante de segunda geração, este ‘outro’, a um só tempo familiar e estranho, que somos cada um de nós.”

Além do escolhido, indico os seguintes livros que abordam a temática “Migração e Xenofobia”: “Americanah”, de Chimamanda Adichie; “O xará”, de Jhumpa Lahiri; “A hora da estrela”, Clarice Lispector; “Existem crocodilos no mar”, de Fabio Geda; “A imensidão íntima dos carneiros”, de Marcelo Maluf; “A fantástica vida breve de Oscar Wao”, de Junot Diaz; e “Muito além do inverno”, de Isabel Allende.

E você, já escolheu sua leitura de janeiro?

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

Desafio Bookster

#DesafioBookster2019 : A literatura como meio de reflexão!

Em 2018, lancei o primeiro Desafio Book.ster e fiquei muito feliz com o resultado: muitas pessoas aderiram ao desafio e eu descobri leituras incríveis - e que dificilmente teria escolhido por conta própria. Agora, com o ano chegando ao fim, venho apresentar o #DesafioBookster2019! 

NOTA

LIVROS

Pedro Páramo, Juan Rulfo | RESENHA

Considerado o romance mais aclamado da literatura mexicana, Pedro Páramo é uma leitura única e que exige do leitor.

NOTA 9,5/10