Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10

LIVROS

NOTA 7,5/10

The Underground Railroad – Os caminhos para a liberdade, Colson Whitehead | Resenha

Depois de ter sido vencedora do Pulitzer Prize e elogiada por Barack Obama, a obra de Whitehead disparou na lista dos mais vendidos. Aqui no Brasil, o livro dividiu opiniões, inclusive com críticas à edição e à tradução para o português (o que não posso opinar, pois decidi ler no original). Então, apesar de ter me interessado pela premissa da obra, comecei a ler sem saber muito o que encontraria.
O autor criou sua narrativa sobre as famosas rotas clandestinas – “underground railroads” – utilizadas para fuga pelos escravos africanos nos EUA do século XIX. O funcionamento dessas rotas contava com abrigos secretos e a importante ajuda dos abolicionistas que trabalhavam colocando suas vidas em risco para conseguir levar os escravos aos estados livres do norte ou Canadá. E um dos pontos mais interessantes da obra é que Whitehead construiu essa história em um cenário onde essas rotas eram de fato ferrovias subterrâneas, significado literal da tradução do termo “underground railroads”.

E nesse cenário o leitor acompanha a trajetória de Cora, uma jovem escrava que trabalha em uma plantação de algodão e que foi abandonada pela mãe, quando ainda era uma crianca. A vida de Cora muda quando conhece Caesar, um escavo recém chegado na propriedade em que trabalhava, que lhe apresenta uma forma de conseguir escapar dessa vida de sofrimentos: as ferrovias subterrâneas. A partir daí, os caminhos de Cora pela liberdade são repletos de perdas, dificuldades e descobertas sobre a dimensão da escravidão no país.

Eu gostei do livro! A escrita de Whitehead é simples, com vários diálogos, mas com passagens bem fortes envolvendo a condição de vida dos escravos naquela época, despertando reflexões no leitor. Por outro lado, senti falta de um maior envolvimento com os personagens e, em alguns momentos, tive a impressão de que o autor poderia ter se aprofundado mais. Mas, de resto, recomendo a leitura!

Editora: HarperCollins

Ano de publicação da obra:

Número de páginas: 320

Trecho da obra:  “Master said the only thing more dangerous than a nigger with a gun,” he told them, “was a nigger with a book.”

 

Se você gostou, compre o livro clicando no link e ajude a página a se manter: https://amzn.to/2QeQPem

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

Escolha da vez

Quem me acompanha aqui há algum tempo sabe que eu costumo escolher as minhas leituras com base em 4 categorias, que podem ser assim resumidas: (1) clássico; (2) livro curto (até 200 páginas); (3) autor contemporâneo / ficção científica; e (4)livro de não-ficção / de contos / poemas. .

NOTA

LIVROS

A metamorfose, Franz Kafka | Resenha

Fazia tempo que um livro não conseguia me impactar tanto. Kafka consegue, aos poucos, despertar sentimentos no leitor. Não é um parágrafo ou um capítulo que são mais fortes. O efeito das palavras de Kafka é diluído e, quando percebi, a história de Gregor já estava me incomodando.

NOTA 09/10