Veja também

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Pacientes que curam, de Julia Rocha | Resenha

Adoro livros que envolvem o universo médico e, por conta disso, já havia recebido várias indicações do livro da Julia Rocha, - mulher, negra, mãe, cantora e que, além de tudo isso, também é médica da família. Em textos curtos, a autora compartilha com os leitores a sua vivência como médica do Sistema Único de Saúde (SUS - aliás, viva o SUS!).

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Violeta, de Isabel Allende | Resenha

Já imaginou ler a história de alguém que nasceu em meio a gripe espanhola, na década de 20, e viveu para testemunhar o mundo paralisado pela pandemia em pleno 2020? Bom, é justamente essa linha de tempo contemplada por “Violeta” que, ainda por cima, conta com a escrita fantasiosa de Allende.

NOTA 9/10

LIVROS

NOTA 07/10

A gorda, Isabela Figueiredo

A protagonista desse romance, Maria Luísa, é uma portuguesa nascida em Moçambique e enviada pelos pais para um colégio interno em Portugal quando ainda era bem jovem. Apesar de inteligente e  boa aluna, sua aparência acaba tornando a protagonista um alvo de piadas: Maria Luísa é gorda. Com o tempo, a protagonista aprenda a lidar com sua aparência física, muito embora essa sua característica afetará diversos aspectos de sua vida. Narrada em primeira pessoa, a história nos é contada por uma Maria Luísa fisicamente diferente, como já se denota na primeira frase do livro: “Quarenta quilos é muito peso. Foram os que perdi após a gastrectomia: era uma segunda corpo que transportava comigo. Ou seja, que arrastava”.

Assim, comecei a ler “A gorda” com a expectativa de encontrar um romance sobre os conflitos de uma jovem que sofre com o seu peso e com a sua imagem.  No entanto, diferente do que propõe, ao longo da leitura percebi que o “ser gorda” desempenha um papel muito mais secundário da obra de Isabela Figueiredo. O seu problema com o corpo aparece apenas em algumas passagens, de forma superficial. Na verdade, a narrativa é muito mais voltada para as angustias da protagonista, e sua relação conturbada com David, seu primeiro amor, e principalmente com seus pais, que depois se mudam para Portugal para viver com a filha. É, na minha opinião, um livro de memórias soltas e que marcaram a vida de Maris Luísa.

Essa expectativa não correspondida da proposta do livro talvez tenha contribuído – negativamente – para a minha experiencia com a leitura: achei um livro bom, mas com partes cansativas. Não há como negar que Isabela Figueiredo escreve muito bem, com passagens muito marcantes e que despertam reflexões no leitor. A autora mescla uma linguagem crua e afiada, com um forte – e ótimo – toque poético.

Também achei muito interessante a premissa utilizada pela autora para construir seu romance: cada capítulo tem como título um dos cômodo da casa em que Maria Luísa viveu com seus pais em Portugal e já inicia com a descrição de cada ambiente. A ideia é contar momentos marcantes de sua vida, por meio de um passeio com o leitor nos aposentos de sua casa.

Por fim, acho legar dizer que a obra aparenta ter toques autobiográficos. Isso porque, assim como Maria Luísa, a autora também nasceu em Moçambique e se mudou para Portugal, além de ter se submetido a uma gastrectomia. Essas semelhanças com certeza desempenharam um papel importante na relação da autora com “A gorda”, um livro carregado de memórias e emoções.

Editora: Todavia

Ano da edição: 2017

Número de páginas: 205

Se você gostou, compre o livro clicando no link e ajude a página a se manter: https://amzn.to/2LuDNd3

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

LIVROS

A mulher que escreveu a bíblia, Moacyr Scliar

Essa obra foi uma grande surpresa para mim, ainda mais por nunca ter lido nada de Moacyr Scliar!

NOTA 9,5/10

DIVERSOS

Próxima geração de leitores – Dicas de livros para crianças e adolescentes

É muito comum receber mensagens pedindo dicas de livros para indicar para jovens. E a intenção é sempre a mesma: incentivar a criança ou o adolescente a criar o hábito da leitura desde cedo, em um ambiente cercado...

NOTA