Veja também

FICÇÃO, LIVROS

Herança, de Miguel Bonnefoy | Resenha

Quando recentemente estive na França, via "Heritage" em evidência nas estantes das livrarias que visitei. Curioso, fui logo pesquisar mais do livro, que venceu o Prix des Libraires 2021, e percebi que era o mesmo que há pouco havia recebido da @editoravestigio! Comecei a leitura sem saber o que esperar, já que a obra chegou recentemente nas livrarias brasileiras e ainda não tinha visto a opinião de alguém que já tivesse se aventurado por essas páginas... E que surpresa maravilhosa!

NOTA 9,5/10

LIVROS, NÃO FICÇÃO

Paula, de Isabel Allende | Resenha

Começar um livro sobre uma mãe que aguarda a morte de sua filha doente ao seu lado é algo que pode ser impensável para muitos. Temos nossos limites em conhecer o sofrimento do outro, mas a verdade é que esse livro não trata apenas da tristeza e do medo de uma perda irreparável.

NOTA 10/10

LIVROS, NÃO FICÇÃO

NOTA

Como os advogados salvaram o mundo, José Roberto de Castro Neves

O título chama a atenção logo de cara, ainda mais quando se fala em advogados, sempre vítimas de piadas e críticas – especialmente no atual Brasil da “Lava Jato”. Então, a primeira pergunta que passa na cabeça é: como seria possível afirmar que os advogados salvaram o mundo? E é justamente a partir desse título provocativo, que o autor desenvolve uma proposta muito interessante: demonstrar ao leitor como a presença de advogados foi relevante nos principais momentos de nossa história. O autor faz referência a episódios marcantes para a proteção dos cidadãos contra um estado arbitrário e governos autoritários. Dessa forma, o que José Roberto consegue fazer ao longo desse livro é, por meio de uma vasta pesquisa, expor uma visão humanista do advogado, aquele que, por centenas de anos, vem atuando para garantir a liberdade daqueles em nome de quem atua. São personalidades como Ghandhi, Mandela, Montesquieu, Cícero e muitos outros – que partilham da formação jurídica como ponto comum – conseguiram “salvar o mundo”, no sentido de proteger “o homem de seu maior inimigo: os próprios homens“. 
E para demonstrar isso ao leitor, José Roberto atravessa um período histórico surpreendente. Desde a lei das 12 Tábuas, datada do século V a.c., passando pelo Renascimento, Iluminismo, Revolução Americana, Revolução Francesa, o autor chega às questões polemicas da profissão nos dias atuais e se arrisca até mesmo a discutir os riscos para a função do advogado em um futuro marcado pela inteligência artificial. Na minha opinião, um dos pontos mais positivos da obra é que essa “aula de história” em forma de livro foi construída de forma extremamente fluida e de fácil leitura! Ou seja, não é uma leitura apenas para advogados, mas para qualquer um que goste de história, direito ou tenha curiosidade sobre a formação da sociedade como conhecemos hoje. Além disso, José Roberto deixa o conteúdo ainda mais rico com trechos de diversos textos e discursos originais e representativos desses principais episódios que marcaram a nossa história.  

Por fim, como o autor é um grande colega, resolvi fazer essa resenha sem nota, sempre com o objetivo de manter a imparcialidade na minha avaliação. Independente disso, fato é que recomendo muito!

Recebi o livro da @novafronteira, muito obrigado!

“Talvez, num mundo diferente, habitado apenas por seres perfeitos, bons, altruístas e pacíficos, os advogados fossem supérfluos. Mas não é esse o mundo que vivemos. Sem os advogados, o mundo seria pior.

Os advogados não são perfeitos. É claro. São seres humanos que têm na imperfeição uma das suas características mais marcantes e belas. Por outro lado, apenas enquanto humanos é que eles conseguem compreender a humanidade.”

Se você gostou, compre o livro clicando no link e ajude a página a se manter: https://amzn.to/2J46gSw

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

Compartilhando Leitura

Ler é, muitas vezes, visto como uma atividade solitária. Eu, inclusive, tinha essa opinião até criar o @book.ster.

NOTA

LIVROS

Laços, Domenico Starnone

Laços é uma obra sobre relações conturbadas, traição e a desmitificação da família perfeita.

NOTA 8,5/10