Veja também

Desafio Bookster

#DesafioBookster2024 | Maio

Mês: Maio
Sentimento: Culpa (mas prometo que o livro promete ser alto astral, hehe)
Livro: Sr. Loverman, de Bernardine Evaristo

NOTA

DIVERSOS

Nove histórias, de J. D. Salinger | Resenha

Embora o autor norte-americano J D Salinger seja conhecido mundialmente por “O apanhador no campo de centeio”, publicado em 1951 e com dezenas de milhões de cópias já vendidas, o seu talento de escrever histórias curtas é até mais festejado por quem é fã de seu trabalho.

NOTA 8/10

LIVROS

NOTA 7,5/10

A confissão da leoa, Mia Couto

Assim como Valter Hugo Mãe, Mia Couto é uma das grandes surpresas da literatura contemporânea da língua portuguesa. A escrita é extremamente poética, como se o autor tivesse pensado muito antes de inserir uma nova palavra, e agradável. Além disso, o autor tem uma capacidade impressionante de envolver o leitor não só com a narrativa, mas também com os personagens por ele tão bem construídos. Em A confissão da leoa, acompanhamos os relatos – alternados – de Arcanjo, caçador enviado a uma aldeia moçambicana para proteger os moradores dos ataques de leões, e Marimar, uma habitante “rebelde” dessa aldeia! Apresentando ao leitor a ótica de cada um dos protagonistas, Mia Couta insere uma forte crítica social à condição das mulheres africanas que, não por outro motivo, são as principais vítimas dos ataques dos leões. Não foi o meu livro preferido do autor, pois achei que ele poderia ter se aprofundado mais em alguns momentos, mas ainda assim é muito bom! Quais obras vocês recomendam de Mia Couto?

 

Se você gostou, compre o livro clicando no link e ajude a página a se manter: https://amzn.to/2IOahKZ

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

LIVROS

O rei de Havana, Pedro Juan Gutiérrez

Uma das grandes surpresas deste ano!

NOTA 10/10

LIVROS

O estrangeiro, Albert Camus

Um clássico da literatura mundial, O estrangeiro é um romance sempre atual e com forte teor existencialista, abordando a solidão, o desapego do ser humano aos valores da sociedade e a sua indiferença com a rotina e as próprias emoções.

NOTA 10/10