Veja também

DIVERSOS

Quem matou meu pai, de Édouard Louis | Resenha

Um manifesto literário e íntimo. Com menos de 100 paginas, Édouard Louis constrói um texto híbrido, que combina críticas sociais à desigualdade e à sociedade opressora em que vivemos, com suas memórias, em especial a sua conturbada relação com seu pai, que não aceitava um filho gay. Se a autoaceitação de uma pessoa da comunidade LGBTQIA+ já é um processo difícil e dolorido, enfrentar esses medos com a repulsa familiar é uma tarefa muito mais sofrida.

NOTA 9/10

DIVERSOS

Uma história desagradável, de Fiódor Dostoiévski | Resenha

Diferentemente do seus romances mais densos, que se aprofundam nos conflitos e angústias dos personagens, “Uma história desagradável” é uma obra curta e que revela um Dostoiévski mais cômico e menos psicológico. E o que começa com uma premissa bem humorada, acaba levando para um desenvolvimento desagradável - para não dizer caótico.

NOTA 9/10

DIVERSOS

NOTA

Desafio Bookster 2023 | Maio

Mês: Maio
Tema: Segunda Guerra Mundial
Livro: As Pipas, de Romain Gary

A Segunda Guerra Mundial é um tema com muita presença na literatura. E para tentar sair de livros com cenários de quem combateu na linha da frente da guerra, decidi escolher uma obra que retratava a vida de pessoas comuns. “As pipas” foi escrito por um autor que já me emocionou demais com “A Vida Pela Frente”, queridíssimo por aqui. A obra foi publicada no ano de sua morte, em 1980. E aqui o autor usa a segunda guerra como pano de fundo para uma história cheia de delicadeza pelo olhar infantil, mostrando sua capacidade de contar uma grande história por meio de dramas cotidianos imaginando um mundo pós a ocupação nazista da França.

Sinopse:
“Ludo é um menino que cresce em uma pequena fazenda na Normandia sob os cuidados de seu tio, um excêntrico fabricante de pipas. Numa propriedade opulenta e aristocrática perto dali, passava os verões a jovem polonesa Lila, por quem Ludo se apaixona à primeira vista. O livro acompanha a trajetória dessa dupla improvável — um camponês sensível e uma aristocrata vaidosa — em meio à eclosão da Segunda Guerra. Com personagens que apostam tudo na luta para manter vivas as esperanças, As pipas é o apelo poético de Romain Gary a toda forma de resistência.”

Quem vem com a gente nessa? Tem link para compra do livro com desconto nos meus stories e, para entrar no grupo de discussão do Desafio no Telegram, é só entrar no link da bio.

@todavialivros
336 pgs

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

Enquanto eu respirar, de Ana Michelle Soares | Resenha

Me deparei com a incrível AnaMi, como era carinhosamente chamada, depois de ter lido o livro “A morte é um dia que vale a pena viver”, da Dra. Ana Claudia Arantes, médica especializada em cuidados paliativos. Com a Dra. Ana Claudia, comecei a compreender a importância e o real significado da medicina paliativa. AnaMi era não apenas uma paciente, mas uma grande amiga da médica.

NOTA

DIVERSOS

Água de barrela, de Eliana Alves Cruz | Resenha

Escolhido para o mês de março do Desafio Bookster 2023, o livro traz um relato intenso sobre o brutal e centenário período de escravização que marcou o país. A narrativa é contada, sobretudo, a partir de personagens femininos, percorrendo várias gerações de uma família, desde a captura forçada de pessoas no continente africano, passando pela abolição da escravização, até os dias atuais.

NOTA 9,5/10