Veja também

Desafio Bookster

#DesafioBookster2024 | Maio

Mês: Maio
Sentimento: Culpa (mas prometo que o livro promete ser alto astral, hehe)
Livro: Sr. Loverman, de Bernardine Evaristo

NOTA

DIVERSOS

Nove histórias, de J. D. Salinger | Resenha

Embora o autor norte-americano J D Salinger seja conhecido mundialmente por “O apanhador no campo de centeio”, publicado em 1951 e com dezenas de milhões de cópias já vendidas, o seu talento de escrever histórias curtas é até mais festejado por quem é fã de seu trabalho.

NOTA 8/10

DIVERSOS

NOTA

#DesafioBookster2023 | Fevereiro

Para continuar o Desafio Bookster 2023, escolhi incluir um tema que, desde o início de 2020, paralisou a vida de todos, sem exceção. A pandemia Covid-19 assolou o mundo, fez milhões de vítimas, e nos despertou inúmeras reflexões, além da necessidade de nos adaptar a um novo normal.

No entanto, pandemias e epidemias não são uma novidade na História, sendo possível mencionar exemplos famosos que marcaram os últimos séculos, como a peste negra, gripe espanhola, febre amarela, AIDS, poliomielite, varíola, gripe aviária e ebola. E para representar pandemias que assolaram diferentes partes do mundo em diferentes períodos, a obra escolhida é Nêmesis, do escritor norte-americano Philip Roth. O livro, publicado em 2010, foi vencedor do Man Booker International Prize de 2011 e traz como ponto central a epidemia de Poliomielite que fez milhares de vítimas na década de 40. Suas obras são marcadas pela forte habilidade em representar a natureza humana, principalmente quando falamos de desejos e pulsões, e é isso que o autor promete trazer nessa obra: as emoções provocadas por uma doença fatal que se espalha rapidamente. Roth, que morreu em 2018, foi vencedor de vários prêmios literários importantes.

Sinopse:
“Aos 23 anos, Eugene “Bucky” Cantor, professor de educação física e inspetor de pátio de uma escola judaica de Newark, vive uma vida pacata, porém é atormentado pelo fato de não poder lutar na guerra ao lado de seus contemporâneos, em razão de sua miopia fortíssima. Tudo muda num dia de verão de 1944, quando um grupo de adolescentes encrenqueiros de ascendência italiana aparece no colégio e cospe no chão, ameaçando a todos com uma doença terrível. Logo depois do incidente, vários alunos contraem poliomielite, para desespero do professor.
Esse é o ponto de partida de Nêmesis. Embora hoje seja muito raro alguém morrer de pólio, até o início da década de 1950 a doença era praticamente fatal. (…).”

Editora: @companhiadasletras
Páginas: 200 páginas

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

DIVERSOS

O ano do pensamento mágico, de Joan Didion | Resenha

Eu não sei se isso acontece com todo mundo, mas livros sobre perdas e luto me impactam muito. É claro que o tema, por si só, é muito sensível e causa comoção no leitor. Mas o que me atrai é a possibilidade de acompanhar o desenvolvimento dos sentimentos de quem - sejam uma obra ficcional ou não - enfrenta uma dor tão irreparável. É como se eu ajudasse, de alguma forma, aquela pessoa quando sobre a história compartilhada.

NOTA 10/10

DIVERSOS

Corpo desfeito, de Jarid Arraes | Resenha

Com apenas 128 páginas, essa é, sem dúvidas, uma das histórias mais doloridas que li. Em alguns momentos cheguei até mesmo a questionar o motivo de tanto sofrimento. Mas a triste verdade é que, apesar de ser um livro de ficção, Jarid Arraes narra a história de muitas crianças espalhadas pelo nosso Brasil. É tanto sofrimento, porque é um retrato de uma realidade que não queremos conhecer.

NOTA 8,5/10