Veja também

FICÇÃO, LIVROS

A fantástica vida breve de Oscar Wao, de Junot Díaz | Resenha

Vencedor do Prêmio Pulitzer de ficção em 2008, a obra do autor domenicano Junot Díaz estava esgotada das prateleiras brasileiras há um tempo e ganhou nova edição da @editorarecord! E que coisa boa foi poder ler esse livro e saber que outros leitores também poderão encontrá-lo facilmente nas livrarias!

NOTA 9,5/10

CLÁSSICOS, FICÇÃO, LIVROS

Um jogador, Fiódor Dostoiévski | Resenha

A literatura russa consegue ser uma caixinha de boas surpresas! “Um jogador” é uma novela de Dostoiévski que já estava na minha lista há um tempo, já que era frequentemente indicada como uma obra que trazia humor junto da habilidade de escrita do autor. E é isso que ele entrega: uma boa história, sem deixar de lado a sua interessante análise sobre o psicológico dos personagens.

NOTA 8,5/10

FICÇÃO, LIVROS

NOTA 7,5/10

Os sete maridos de Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Reid | Resenha

Com mais de 1 milhão de exemplares vendidos no mundo todo, o livro foi escolhido por vocês! Apesar de muitos elogios, também recebi várias mensagens de leitores que acharam puro “hype” ou sem qualquer valor literário. Mas, e aí?

Inicialmente, vale dizer que esse argumento de “valor literário” é polêmico e passa por questões mais delicadas sobre o propósito e a “elitização” da leitura. Eu não gosto de analisar os livros dessa forma e busco sempre compartilhar a minha experiência de leitura.

A sinopse não tinha me atraído muito. Evelyn Hugo, uma estrela de Hollywood da década de 60, decide contar a história de sua vida quando está aposentada e próxima dos 80 anos… Mas a situação não é tão simples quanto parece. Primeiro, porque Evelyn teve uma vida bastante agitada, colecionando 7 casamentos. Em segundo lugar, a estrela de Hollywood exige que sua história seja contada apenas para uma jovem jornalista, Monique Grant. Não há nenhuma relação aparente entre as duas e isso já cria um ar de mistério.

Confesso que nas primeiras 20 páginas fiquei bem preocupado com o que viria pela frente. Achei um começo bem sem graça e com uma linguagem mais adolescente. No entanto, a construção da história começou a tomar um rumo interessante e, a partir dos 30%, fisguei a isca jogada pela autora. É uma obra “page turner”, que você quer saber o que vai acontecer e fica difícil de parar.

Além disso, a autora aborda temáticas importantes, sobretudo em relação à comunidade LGBTQIA+ e à discriminação racial. Achei que seria um livro clichê sobre o universo de Hollywood e dos famosos, mas não foi isso que encontrei. São muitos diálogos que preenchem a obra e, apesar de isso ajudar na fluidez, acabou prejudicando um pouco a construção dos personagens. A própria Evelyn e seu amigo Harry foram os personagens com que mais me conectei. Também esperava mais do final!

Enfim, não é o tipo de narrativa que mais gosto, mas a experiência foi gostosa e li o livro em poucos dias. Uma ótima opção dica para quem está querendo criar o hábito: leitura rápida e fácil, com temas interessantes.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

FICÇÃO, LIVROS

Mandíbula, de Mónica Ojeda | Resenha

ais periféricos do mercado editorial. É importante valorizar quando editoras fazem esse movimento de trazer obras pouco conhecidas, o que é o caso de “Mandíbula”, da equatoriana Mónica Ojeda, que agora povoa as livrarias após a publicação da @autentica.contemporanea !

NOTA 7/10

FICÇÃO, LIVROS

A cabeça do santo, de Socorro Acioli | Resenha

Quando o assunto é literatura, tem duas coisas que amo: Gabriel García Márquez e realismo mágico (obras que contêm uma visão realística do mundo, mas com elementos mágicos). A obra da autora brasileira Socorro Acioli reúne os dois, tendo desenvolvido “A cabeça do santo” em uma oficina ministrada por ninguém menos que o incrível Gabo (apelido para os íntimos, hehe).

NOTA 9/10