Veja também

DIVERSOS

O olho mais azul, de Toni Morrison | Resenha

A literatura é uma poderosa ferramenta de empatia. Ela nos permite enxergar situações corriqueiras a partir de perspectivas que são totalmente estranhas à nossa realidade e que nunca teríamos acesso se não fosse por meio dos livros. E terminar a leitura dessa obra apenas confirma esse seu papel...

NOTA 9,5/10

DIVERSOS, FICÇÃO

A ilha, de Aldous Huxley | Resenha

Após sofrer um naufrágio, Will Farnaby acaba sendo arrastado para a costa de Pala, uma ilha por ele totalmente desconhecida. Aos poucos, o personagem vai descobrindo que os habitantes da ilha vivem guiados por regras que fogem muito da realidade em que vivemos...

NOTA 9/10

DIVERSOS

NOTA

Escolhas da vez!

Costumo escolher as minhas leituras com base em quatro categorias: (1) clássico; (2) até 200 páginas; (3) autor contemporâneo/ ficção científica; e (4) não ficção/ contos/poemas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ou seja, escolho quatro livros e só vou começar um livro diferente depois que eu acabar a “leva” atual. Isso me tira da zona de conforto e me incentiva a ler obras de diferentes gêneros. Essa “técnica” também ajuda muito no ritmo da leitura, evitando que eu canse de alguma obra. E é importante dizer que eu não leio os 4 livros simultaneamente! Gosto de começar 2, e aí vou iniciando os próximos conforme finalizo as leituras, sem deixar nenhum de lado.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Escolhas de vez:
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
1 – Clássico: “Rúdin”, Ivan Turguêniev – Livro da #leituraconjuntabookster ! Turuêniev é um dos meus autores russos favoritos e é uma ótima porta de entrada para a literatura russa (+ detalhes no destaque dos stories chamado “Conjunta”). “O autor retrata aqui o ‘homem supérfluo’, motivo central da literatura russa de então”.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
2 – Até 200 páginas: “A mulher dos pés descalços”, Scholastique Mukasonga – Autora de Ruanda, Mukasonga traz as memórias de sua mãe, vítima do sangrento genocídio do povo Tutsi, ocorrido na década de 90. Escolha para o clube @viajonolivro ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
3 – Autor contemporâneo: “Terra sonâmbula”, Mia Couto – Escolha de fevereiro para o #desafiobookster2019, com a temática de Guerras/Violência. O autor moçambicano, conhecido por sua escrita poética, vai narrar por meio da história de dois personagens, Tuahir e Muidinga, a devastadora guerra civil que assolou o país, iniciada na década de 70. “Couto se vale também de recursos do realismo mágico e da arte narrativa tradicional africana para compor esta bela fábula, que nos ensina que sonhar, mesmo nas condições mais adversas, é um elemento indispensável para se continuar vivendo”.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
4 – Não ficção: “A menina da montanha”, Tara Westover – No topo da lista dos mais vendidos, o livro traz a autobiografia de uma garota criada nas montanhas, em uma família isolada, que vivia para se preparar para o fim do mundo, e em um ambiente extremamente machista e religioso.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E vocês, estão lendo o que?

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

LIVROS

A queda, de Albert Camus | Resenha

Camus é autor de um dos meus livros preferidos: “O estrangeiro”. Apesar disso, ainda não havia lido nenhum outro livro seu - talvez pelo medo de ficar decepcionado por já ter lido o melhor! Mas para resolver isso, coloquei “A queda” na lista dos 10 livros que com certeza leria em 2019... E já foi logo o primeiro a ser lido!

NOTA 8,5/10

LIVROS

A civilização do espetáculo, de Mario Vargas Llosa | | Resenha

Gosto bastante da escrita de Llosa (com destaque para “A festa do bode” e “Travessuras da menina má”), mas ainda não havia tido contato com algum trabalho de não ficção. 

NOTA 8,5/10