Veja também

FICÇÃO, LIVROS

Solução de dois Estados, de Michel Laub | Resenha

Em seu mais novo romance, um dos principais nomes da literatura contemporânea nacional aborda temáticas muito atuais, sobretudo a polarização que marca as discussões políticas e sociais do nosso tempo.

NOTA 9/10

FICÇÃO, LIVROS

Confissões, de Kanae Minato | Resenha

Até escolher o livro para a leitura conjunta do #desafiobookster2021, para o gênero de thriller, nunca tinha ouvido falar da autora japonesa Kanae Minato.

NOTA 8,5/10

CLÁSSICOS, FICÇÃO, LIVROS

NOTA 10/10

1984, George Orwell

Uma narrativa atemporal e um marco dos romances distópicos! Em 1984, George Orwell criou uma sociedade distópica, em que tudo é controlado e todos são manipulados pelo Grande Irmão, personificação de um poder autoritário.

Nessa sociedade, os indivíduos vivem sozinhos, não constroem laços com seus pares, apesar de fazerem tudo coletivamente. Os registros do passado são constantemente alterados pelo Ministério da “Verdade”, onde trabalha Winston, o protagonista do livro. É a história sendo reescrita para que o governo consiga se manter no poder, maquiando a verdade e criando uma ideia de que a sociedade atual é a perfeita. Para se proteger, qualquer forma de pensamento opositor é completamente proibida.

A escrita de Orwell é muito fluida e gostosa de ler. Daqueles livros que prendem e envolvem o leitor. Li esse livro ainda na escola e posso afirmar que foi um dos grandes responsáveis por despertar o meu gosto pela leitura!

A obra também nos faz refletir muito, principalmente considerando os dias atuais, em que também nos sentimos vigiados e controlados o tempo todo. 1984, George Orwel, é uma leitura obrigatória e está, com certeza, na lista de livros favoritos!

 

Trecho do livro:

Quem controla o passado, controla o futuro; quem controla o presente, controla o passado.”

“Dia a dia e quase minuto a minuto o passado era atualizado. Desse modo era possível comprovar com evidências documentadas que todas as previsões feitas pelo Partido haviam sido acertadas; sendo que, simultaneamente, todo vestígio de notícia ou opinião conflitante com as necessidades do momento era eliminado. A história não passava de um palimpsesto, raspado e reescrito tantas vezes quantas fosse necessário. Uma vez executado o serviço, era absolutamente impossível provar a ocorrência de qualquer tipo de falsificação.”

Dados do livro:

Editora: Companhia das Letras

Número de páginas: 416

Ano de publicação da obra: 1949

Se você gostou, compre o livro clicando no link e ajude a página:  https://amzn.to/2J0IvhB

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.

Nome*:

Email*:

Comentário*

Veja também

LIVROS

Crime e castigo, Fiódor Dostoiévski

Acho que muitos vão ficar indignados com a minha nota, pensando o que eu deveria ter dado um 10.

NOTA 8,5/10

LIVROS

A máquina de fazer espanhóis, Valter Hugo Mãe

Arrisco dizer que esse é um dos meus livros favoritos!

NOTA 10/10